sábado, 21 de setembro de 2019

Ah, como é bom

Ter o que fazer para preencher o vazio
é tão delicioso esperar o que logo estará tão claramente aí
e firmar noções irreais de certeza, ah! que delícia!
a partida deve começar em alguns minutos e espero educadamente os segundos passarem
ah! fluo meus dedos e o sorriso pela primeira vez no dia me vem!
não veio nas primeiras goladas de cachaça
nem nas segundas
nem no fim da primeira garrafa e no começo da segunda
não veio quando tentei ler uns 4 livros e uns 20 poemas
todos evidentemente largados
não veio quando a corda do violino pocou e eu realizei que precisava pegar uma na segunda
mas agora, ah!! que delicinha!!! não preciso me preocupar em dar corda para atividades quaisquer porque já já em alguns minutos ou segundos (A DELÍCIA DA INCERTEZA DO LOGO MAIS) eu vou ouvir "nuno entra aí"
e todas essas mágoas vão virar tirinhos em personagens de garotos de 12 anos e
que sorte que eu vou sair dessa casa em 17 dias
e digo mais cá entre nós cá eu não quero voltar, amargo desgaste, doce adeus
abraço sobrinho que não nasceu, e boa sorte, te amo em silêncio como amo a todos que por ora não sabem amar
ah! que delícia!!! o tempo passa e passa e minha fluidez e ideias me caem Cachoeiras e nuvens neblinas Iguaçu estou pela primeira vez sozinho e onde quero estar há tanto, tanto tempo, no limbo do espaço entre algo e algo, tendo como certo o algo que passou e o algo que logo logo vem
me lembra a sensação de estar num ônibus, não pelo conforto da viagem, mas privado da responsabilidade de dar os próprios passos
faço essa viagem com passos que não são meus, para não dar corda ao enfado
levo no peito amores e levo no sorriso amigos
porque se for só, desabo, e agora vejo mais claro
e por sorte a partida não começou; tive essa tão linda realização!
ah! por mais viagens longas de ônibus! ou, magnata de alma, pobre de mim, umas viagens infinitas de avião, quanto tempo é daqui à China? Será que tem um avião que gira o planeta mais de uma vez? Acho que agora sei qual é meu maior sonho.
Ah!!!! Que delícia, por mais textos escritos nas esperas de partidas para jogos inúteis, e pelo apreço mais sensato à inutilidade, visto que a utilidade raramente me traz sorrisos verdadeiros!
Sinto tanta saudade de gostar das coisas e sei que gosto quando estou perto das pessoas que gosto
eu preciso sair deste lugar

amigos de todos os lugares, deem-me onde dormir e onde comer, deem-me onde pensar e onde ser, por favor
nunca voz esqueço, ainda que não conheça todos ainda, mas no brilho da minha alma sei que reconhecerão minha eterna gratidão

não peço ajuda por opção mas por ser em vós que encontro a verdadeira esperança da minha repicada sanidade

enquanto não vos encontro abraço a natureza!
esta, sempre amiga, me traz tudo de bom, menos casa
e um dia precisarei de casa

vai começar a partida
vlww

domingo, 15 de setembro de 2019

Certeza

A minha certeza nas coisas não vem com um copo de segurança. Camuflo-me de mim mesmo, vendo aquilo que sei que acontece, mas colocando por entre nós, acontecimento e pessoa, muros revestidos de pichações e histórias, de amores e glórias, lágrimas...
Mas se já sei de certa forma disso, fico encantado com a forma sutil com que me permito estupidamente me surpreender com o jeito que as coisas se dão. Acho que, sendo bem sincero, aproveito mais a vida quando abro os sorrisos para as coisas que já me antevi abrindo, quando abraço os abraços que já sei que vou abraçar.
O elemento surpresa me parece extraviado nessa vida, e quando o vejo nos olhos de meus próximos, ou ainda nos dos distantes, ainda que fique feliz por eles, preciso sempre remediar a angústia e a auto pungência com que me aflijo: por que eu sei tanto assim?
E logo depois saboreio como que para me desculpar a ideia de que sou apenas gente, de que meu corpo é poeira de sarjeta, mesclada pelo tempo, à sorte; e isso me traz a segurança de que no fim das contas eu não devo saber tanto quanto acho que sei. Mas por que quando beijo e olho e abraço os calores amores e enfados nunca me são inéditos? Anda minha capacidade imaginativa perambulando o seu auge há tanto tempo assim, antes de mim, quem sabe? Ou seria milagre, eu, semi-divindade, a perlar os passos divinos num mundo de gente? Me encontro nesse abismo de diferença, na falta da igualdade, reconhecendo como igual aquilo que não é, e daí me tomo por ausente: não do momento, jamais - espero eu - mas das sensações, como se para sentir me fosse necessário esse acervo, como se para ser eu precisasse saber ser.

E se eu perguntar a alguém se isso é normal, então a resposta vai ser Sim é normal, e daí para frente eu começo a ser, e as coisas vão ser por si só inseguras, e eu caio de meu oásis divino para engatinhar humanamente por entre outros bebês humanos...

Nessas horas geralmente eu noto que ando sonhando muito e que preciso acordar de meu berço para ver se aprendo a ficar em pé, viajar menos.

Talvez eu fique em pé, mas cá entre nós,
dans le voyage, je suis

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

MY CLYPPINGS 31 de agosto - 5 de setembro

Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Priberam)
- Sua nota Posição 14784 | Adicionado na data sábado, 31 de agosto de 2019, 21:04:50

flerte
==========
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Priberam)
- Seu destaque Posição 14781-14784 | Adicionado na data sábado, 31 de agosto de 2019, 21:04:50

atroar v. tr. 1. Fazer estremecer, abalar (com o estrondo). 2.  [Figurado] Aturdir. 3.  [Veterinária] Causar atroamento a. • v. intr. 4. Estrugir, retumbar. • v. pron. 5. Morrer dentro do ovo (por efeito dos trovões).
==========
Homero - Ilíada e Odisseia (Homero)
- Seu destaque na página 131 | Posição 1995-1997 | Adicionado na data sábado, 31 de agosto de 2019, 21:32:09

Mas se eu alguém vir do prélio sangrento afastado, querendo nas curvas naus ocultar-se, remédio nenhum, com certeza, há de livrá-lo de pasto tornar-se de cães e de abutres.”
==========
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Priberam)
- Sua nota Posição 128571 | Adicionado na data domingo, 1 de setembro de 2019, 15:33:53

flerte
==========
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Priberam)
- Seu destaque Posição 128569-128571 | Adicionado na data domingo, 1 de setembro de 2019, 15:33:55

sobraçar v. tr. 1. Meter debaixo do braço. 2. Segurar com o braço. 3.  [Figurado] Amparar. 4. Levar em braços; segurar. • v. pron. 5. Dar o braço a outrem.
==========
História de O (Pauline reàge)
- Sua nota na página 28 | Posição 418 | Adicionado na data segunda-feira, 2 de setembro de 2019, 01:42:01

flerte
==========
História de O (Pauline reàge)
- Seu destaque na página 28 | Posição 417-419 | Adicionado na data segunda-feira, 2 de setembro de 2019, 01:42:01

O perguntava-se por que tanta doçura misturava-se nela ao terror, ou por que o terror lhe era tão doce. Percebeu que uma das coisas mais dolorosas para ela era ter-lhe sido retirado o uso de suas mãos.
==========
As Mil e Uma Noites (ASC)
- Seu marcador de página na página 236 | Posição 3614 | Adicionado na data segunda-feira, 2 de setembro de 2019, 19:33:38


==========
As Mil e Uma Noites (ASC)
- Sua nota na página 236 | Posição 3615 | Adicionado na data segunda-feira, 2 de setembro de 2019, 19:34:35

jfhchfgg
==========
As Mil e Uma Noites (ASC)
- Seu destaque na página 236 | Posição 3615-3616 | Adicionado na data segunda-feira, 2 de setembro de 2019, 19:34:35

pastilhas oriundo das janelas daquela moradia, o qual, mesclando-se ao odor de água de rosas, aromatizava inteiramente o ar. Além disso, ouviu um concerto
==========
Violência (Slavoj Žižek)
- Sua nota na página 2 | Posição 17 | Adicionado na data segunda-feira, 2 de setembro de 2019, 20:28:03

fhgdghhv
==========
Violência (Slavoj Žižek)
- Seu destaque na página 2 | Posição 15-17 | Adicionado na data segunda-feira, 2 de setembro de 2019, 20:28:04

Acusam as manifestações populares de violentas, mas, em geral, elas são apenas reações a violências constantemente sofridas que não são chamadas por esse nome. O problema é que a revolta, materializada em ato coletivo, é muito mais facilmente visualizada.
==========
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Priberam)
- Sua nota Posição 142354 | Adicionado na data quarta-feira, 4 de setembro de 2019, 18:15:14

flerte
==========
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (Priberam)
- Seu destaque Posição 142351-142354 | Adicionado na data quarta-feira, 4 de setembro de 2019, 18:15:14

vergasta s. f. 1. Chibata; vara delgada; verdasca. 2.  [Figurado] Castigo; açoite; flagelo. vergastada s. f. Pancada com vergasta. vergastar v. tr. 1. Bater com vergasta em. 2.  [Por extensão] Açoitar; fustigar.
==========
Homero - Ilíada e Odisseia (Homero)
- Sua nota na página 162 | Posição 2473 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 00:04:10

brabo
==========
Homero - Ilíada e Odisseia (Homero)
- Seu destaque na página 162 | Posição 2472-2473 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 00:04:10

Tolo! de nada serviu para a Morte o livrar dolorosa o ouro, que vítima foi,
==========
História da sexualidade 1: a vontade de saber (Michel Foucault)
- Seu destaque na página 84 | Posição 1275-1275 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 13:27:52

De fato, trata-se, antes, da própria produção da sexualidade.
==========
História da sexualidade 1: a vontade de saber (Michel Foucault)
- Seu destaque na página 84 | Posição 1269-1279 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 13:30:53

Na preocupação com o sexo, que aumenta ao longo de todo o século XIX, quatro figuras se esboçam como objetos privilegiados de saber, alvos e pontos de fixação dos empreendimentos do saber: a mulher histérica, a criança masturbadora, o casal malthusiano, o adulto perverso, cada uma correlativa de uma dessas estratégias que, de formas diversas, percorreram e utilizaram o sexo das crianças, das mulheres e dos homens. Nessas estratégias, de que se trata? De uma luta contra a sexualidade? De um esforço para assumir seu controle? De uma tentativa de melhor regê-la e ocultar o que ela comporta de indiscreto, gritante, indócil? De uma maneira de formular, a seu respeito, essa parte de saber que poderia ser aceitável ou útil, sem mais? De fato, trata-se, antes, da própria produção da sexualidade. Não se deve concebê-la como uma espécie de dado da natureza que o poder é tentado a pôr em xeque, ou como um domínio obscuro que o saber tentaria, pouco a pouco, desvelar. A sexualidade é o nome que se pode dar a um dispositivo histórico: não à realidade subterrânea que se apreende com dificuldade, mas à grande rede da superfície em que a estimulação dos corpos, a intensificação dos prazeres, a incitação ao discurso, a formação dos conhecimentos, o reforço dos controles e das resistências, encadeiam-se uns aos outros, segundo algumas grandes estratégias de saber e de poder.
==========
História da sexualidade 1: a vontade de saber (Michel Foucault)
- Seu destaque na página 85 | Posição 1292-1299 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 13:48:05

Numa palavra, o dispositivo de aliança está ordenado para uma homeostase do corpo social, a qual é sua função manter; daí seu vínculo privilegiado com o direito; daí, também, o fato de o momento decisivo, para ele, ser a "reprodução". O dispositivo de sexualidade tem, como razão de ser, não o reproduzir, mas o proliferar, inovar, anexar, inventar, penetrar nos corpos de maneira cada vez mais detalhada e controlar as populações de modo cada vez mais global. Devem-se admitir, portanto, três ou quatro teses contrárias à pressuposta pelo tema de uma sexualidade reprimida pelas formas modernas da sociedade: a sexualidade está ligada a dispositivos recentes de poder; esteve em expansão crescente a partir do século XVII; a articulação que a tem sustentado, desde então, não se ordena em função da reprodução; esta articulação, desde a origem, vinculou-se a uma intensificação do corpo, à sua valorização como objeto de saber e como elemento nas relações de poder.
==========
História da sexualidade 1: a vontade de saber (Michel Foucault)
- Seu destaque na página 86 | Posição 1309-1312 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 13:58:19

A célula familiar, assim como foi valorizada durante o século XVIII, permitiu que, em suas duas dimensões principais — o eixo marido-mulher e o eixo pais-filhos — se desenvolvessem os principais elementos do dispositivo de sexualidade (o corpo feminino, a precocidade infantil, a regulação dos nascimentos e, em menor proporção, sem dúvida, a especificação dos perversos).
==========
História da sexualidade 1: a vontade de saber (Michel Foucault)
- Sua nota na página 86 | Posição 1317 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 13:59:47

puta que o pariu
==========
História da sexualidade 1: a vontade de saber (Michel Foucault)
- Seu destaque na página 86 | Posição 1316-1317 | Adicionado na data quinta-feira, 5 de setembro de 2019, 13:59:47

A família é o permutador da sexualidade com a aliança: transporta a lei e a dimensão do jurídico para o dispositivo de sexualidade; e a economia do prazer e a intensidade das sensações para o regime da aliança.
==========

To feliz pra caramba

Amor!!

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Amém, amigo Uchoa

[12:14 PM, 04/09/2019] Rafael Uchoa: O importante agora é fazer a oração que salva, pois ai tu recebe o espirito santo e consegue interpretar a bíblia

[12:20 PM, 04/09/2019] Rafael Uchoa: Acredito que você ta pronto pra ser salvo eternamente, só tem que fazer os seguintes passos: admite que é pecador e confesse os pecados que vem a sua cabeça, confesse que Jesus é seu senhor e salvador e que aceita o sacrifício dele e reconhece que ele morreu por você na cruz e pros seus pecados, peça pra que ele limpe você com o sangue dele, confesse que você crê na palavra dele e na ressurreição e peça pra que ele guie você conforme a vontade ele pois você reconhece que não é capaz e entrega na mão dele, Deus ama isso, ore por um novo coração e peça pra sentir a presença do espirito santo, termine com em nome de Jesus amém

[12:20 PM, 04/09/2019] Rafael Uchoa: Após você fazer isso verdadeiramente você terá acesso a Deus e será salvo pra sempre, com a segurança da vida eterna que você jamais perdera

[12:22 PM, 04/09/2019] Rafael Uchoa: "Pois Deus amou o mundo de tal forma que deu a vida de seu próprio filho para quem nele crê não pereça, mas tenha vida eterna." "Você é salvo por graça através da fé e não por obras, para que não se vanglorie"

[12:22 PM, 04/09/2019] Rafael Uchoa: Cristianismo verdadeiro é reconhecer que somos ruins e precisamos de ajuda, isso que só pessoas boas vão pro céu é mentira

[12:23 PM, 04/09/2019] Rafael Uchoa: Ninguém nunca foi salvo pelos 10 mandamentos e toda lei, Jesus disse que veio pros pecadores e enfermos e que ninguém vai ao pai senão através dele

Tarkovsky, Solaris - Don Quixote

I know only one thing. When I sleep, I know no fear, no, trouble no bliss. Blessing on him who invented sleep. The common coin that purchases all things, the balance that levels shepherd and king, fool and wise man. There is only one bad thing about sound sleep. They say it closely resembles death.
- Kris

-No entiendo eso -replico Sancho-; sólo entiendo que, en tanto que duermo, ni tengo temor, ni esperanza, ni trabajo ni gloria; y bien haya el que inventó el sueño, capa que cubre todos los humanos pensamientos, manjar que quita la hambre, agua que ahuyenta la sed, fuego que calienta el frío, frío que templa el ardor, y, finalmente, moneda general con que todas las cosas se compran, balanza y peso que iguala al pastor con el rey y al simple con el discreto. Sola una cosa tiene mala el sueño, según he oído decir, y es que se parece a la muerte, pues de un dormido a un muerto hay muy poca diferencia.
-Sancho Pança (Cap 68, parte 2)

domingo, 1 de setembro de 2019

Dor

A dor que eu sinto é vergalhão da coluna acimentada que me mantém em pé

A dor que sinto, se tirada contestada abalada ou mexida, faço de mim gosma, imatéria, bicho, desnaturado

A dor que sinto é Eu, e eu, neste agora, preciso de Mim

Porque, sem mim, sucumbo, e não posso agora sucumbir porque estou tecendo os fios do meu amanhã